You could put your verification ID in a comment Or, in its own meta tag Or, as one of your keywords Google+

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Pesquisa do Transporte Público #3 - Domingo cinzento

Domingo, o primeiro dia da semana  [para alguns]. 
Nesse dia eu costumava acordar tarde, ler o jornal, responder e-mails chatos [aqueles que eu demoro mais de 15 dias para ler], ir a um restaurante ou casa de amigo para filar um rango, tomar um whisky no bar do cuca, ou "aumentar meu círculo social" nas feiras da cidade, e quando sobrava tempo ia aproveitar os benefícios da Tv Paga, [em alguns momentos oportunos] já que Gugu e Faustão eu prefiro nem comentar....
Mas isso era antes de eu precisar/querer muito $$$... 
[eu não preciso de muito dinheiro, mas preciso MUITO de dinheiro pra torrar - Velhas Virgens]
Ultimamente domingo é dia de trabalhar, ralar, e não é fácil para um brasileiro solteiro e sozinho voltar a pagar uma faculdade e ainda viver dignamente. [eu disse viver dignamente? caramba.....]
Tá, mas pra que essa encenação toda, se eu vou falar de algo que sempre falo no Carroça?
Pesquisa do Transporte Público - um domingo cinzento
 
5 e 30 da manhã, praça Walter Santos, Setor Coimbra, esperando o supervisor que me levará à um lugar até o momento desconhecido.
EU:Bom dia.
SUPERVISOR: Bom dia, vai fazer dupla jornada hoje?
EU: Ahan. Qual a "missão" de hoje?
SUPERVISOR: Pesquisa SOBE-DESCE-COM SENHA 
LINHA 002
PQ ATHENEU CENTRO
EU: Ok, 4 viagens? e depois?
SUPERVISOR: Ehhhh... 10 viagens.. Manhã e Tarde.
EU:PQP.. 10 viagens? Vou ter tempo pra almoçar?
SUPERVISOR: Claro, tem um intervalo de 40 minutos depois das 12...
EU: Ahan... ok. Vamo lá!
 
Nessa pesquisa, contamos com um equipe de três pesquisadores: um em cada porta. Normalmente prefiro a porta de Embarque, mas como havia a feito no sábado, escolhi a porta traseira [arrependimento on].
 
Quando fico com a porta de embarque abordo com o máximo de informações no menor período de tempo para não embolar todo mundo no colo do motorista.
Ex:
Bom dia sra, essa é uma pesquisa do transporte público, quando a senhora for desembarcar, entregue essa senha para o pesquisador que estiver na porta. ok?

Este é o procedimento básico.
No entanto o "parceiro" que estava no posto nessa viagem, limitava-se a dizer: 
 
Quando for descer entrega lá no fundo. E "enfiava" a senha na mão do passageiro....

Nada contra a postura dele, eu e o outro pesquisador, íamos esclarecendo às dúvidas e engolindo os sapos do jeito que dava.
 
Até que uma senhora loira, beirando os 49, cara fechada [se esboça-se um sorriso, até eu ia nela^^], profissão não revelada, e com certeza grilada com o clima do dia, ou algo mais profundo, resolveu brincar com a minha cara.
 
 
 [pausa]
Amigos próximos dizem que me estresso por poucas coisas, às quais não deveria merecer tanta importância. No mais, sou um cara da paz, crítico, mas ciente de que vivo em sociedade e devo me comportar como um cidadão. [ainda estou aprendendo essa parte de "me comportar"]
[fim da pausa]
 
 
Bem, a loira-de-cara-fechada, adentrou o coletivo, pegou a senha e veio sentar-se próximo a minha pessoa. Enquanto outros passageiros confabulavam: Pra quê que é isso??[ porque não perguntam poha?????] A loira mais do que depressa começou :

"Eu também não sei, eles não explicam nada"
 
Confesso que poderia ter esperado um pouco mais, alguém iria me perguntar. Mas, não. Ao estilo goianês, entrei na conversa.
 
"Senhoras, esta é uma pesquisa do transporte público, estamos fazendo o levantamento de onde mais sobem/descem passageiros, o rapaz lá da frente não explicou pra não atrapalhar a entrada, mas qualquer dúvida pode me perguntar. Ok? "
 
Nenhuma resposta. Nehuma pergunta, e a viagem seguiu.

Quando a loira-de-cara-fechada ia descendo eu estendi o braço para pegar a senha e a INFELIZ, amassou, jogou no chão e me olhou com desdém. Eu ri. Acontece o tempo todo.

Mas, eu ainda tinha mais 4 viagens para fazer e a loira voltou...

É incrível a quantidade de dúvidas que as pessoas acumulam. Eu, não fico à vontade quando me dizem algo que desconheço. Pergunto, faço pesquisa, pergunto de novo, e só fico satisifeito quando acho uma resposta cabível. Mas este, sou eu.

Da mesma forma, os passageiros murmuravam suas dúvidas e a loira, estrategicamente sentada próxima ao foco de murmurações, deu seu pitaco, mais uma vez.

"Não precisa fazer nada com esse papel não. Eles não explicam pra que é. Na outra viagem eu joguei fora, a senhora pode jogar também".
 
eu esperei...

" é pra eles saberem quantas pessoas entram e descem do ônibus [ela sabia], é uma inutilidade essa pesquisa, devia preocupar com coisa mais importante".
 
eu falei :
Senhora, entendo que não queira participar da pesquisa, mas por favor, não atrapalhe o meu serviço, e principalmente, não julgue o meu trabalho como inútil.

loira-de-cara-fechada: É uma inutilidade mesmo. E eu não admito que estranhos me dirijam a palavra, eu não admito....

eu:
desde que você [esqueci o senhora] dirija a palavra a alguém, está sujeita a ouvir a resposta. E outra, eu vou ficar aqui até o fim da sua viagem [dei risada e recoloquei os fones de ouvido para trabalhar, ao som de Black Sabbath]...
 
Eu me calei na hora, pois, "não me admito proferir palavras a outrém que não possui o 
minimo de respeito para ouvir/interpretar"
 
Sei que não terá o mesmo impacto, mas aqui vai o que pensei em dizer:
 
 a loira-de-cara-fechada...
 
"A única coisa que posso fazer diante da sua atitude de não participar da pesquisa e tumultuar o trabalho alheio, é sorrir me acabar em gargalhadas. Já que eu não dependo exclusivamente do transporte público, como a senhora depende, e estou aqui única e exclusivamente trabalhando para não depender futuramente do estado/prefeitura.  Pessoas com a mesma postura que a sua não devem reclamar da atual situação caótica dos ônibus e do sistema de transporte, pois são pessoas como a senhora que "contribuem" para que a situação não mude".

O clima nas proximidades do embate [ fundo do ônibus] ficou tenso e engraçado. Os que iam me entregar a senha, faziam questão de dizer "Bom trabalho moço", seguido de uma olhada para a loira-de-cara-fechada.

Por fim, para provar que alguns goianienses praticam bons modos, uma senhora gentil que me olhava com ternura durante o resto dessa viagem, ao desembarcar disse:
"Meu filho, tenha um bom trabalho, que Deus te abençoe e não liga para essas bobagens não, tenho certeza que você está trabalhando pra que as coisas melhorem pra gente" 
Pra fechar lançou um olhar fulminante à loira. 
 
Senhora gentil, MUITO OBRIGADO... Demais passageiros que por ventura chegarem aqui, CONTO COM A VOSSA PARTICIPAÇÃO, eu ainda estou trabalhando por/para e com vocês ... 
hahahahaha. devia ter me candidatado.
Prestigie o INquote?

Reações:

1 comentários:

Cristina Santos disse...

Nossa, se fosse eu tinha metido a mão na cara dessa loira...
povinho sem educacao...
Tb te desejo um bom trabalho moço..